Capa da notícia
Saúde

Senac é parceiro da Campanha contra Hepatites virais

A abertura oficial da campanha em Goiânia será dia 30 de julho, às 8h30, na administração do Senac, no Setor Aeroporto.

 

A Administração Regional do Senac em Goiás e o Senac Elias Bufáiçal, em parceria com as Secretarias Municipal e Estadual de Saúde promovem, no próximo dia 30, segunda-feira, a abertura oficial da Campanha de Luta contra as Hepatites Virais. O evento será realizado às 8h30, no pátio da Administração Regional do Senac, no Setor Aeroporto. No dia haverá vacinação contra Hepatite B, distribuição de materiais educativos, preservativos masculinos e ainda uma equipe das secretarias de saúde vão tirar dúvidas sobre a doença.
  
Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), a cada ano mais de dois bilhões de pessoas são infectadas por hepatites virais e cerca de um milhão morrem em decorrência da doença. No Brasil, foram registrados quase 70 mil casos entre 1999 e 2010, mas as estimativas indicam que existam dois milhões de portadores de hepatite C e 500 mil de hepatite B no país. A diferença entre os registros da doença e as estimativas de pessoas infectadas apontam um desafio: ainda falta muito para se diagnosticar e tratar os portadores destas infecções que, quando não precocemente detectadas e tratadas, podem acarretar complicações como cirrose e câncer de fígado.
 
As hepatites agudas A e E são tratadas só com medicamentos sintomáticos, além de repouso e dieta leve. O importante é ter acompanhamento médico para avaliar a evolução do quadro. Raramente existem complicações que deverão ser diagnosticadas precocemente. A forma aguda da hepatite B também é semelhante às anteriores, mas, em geral, é assintomática. Se houver evolução para forma grave ou crônica existe tratamento com drogas específicas. A hepatite C é a mais silenciosa de todas, com raras formas agudas, mas quando acontece o quadro clínico é semelhante às demais
 
Se informação é importante para diagnosticar e tratar, prevenção é fundamental para evitar a transmissão de hepatite. A vacina contra hepatite B já faz parte do calendário oficial. A 1ª dose após o nascimento (nas primeiras 12 horas) previne também, em boa parte dos casos, a transmissão do vírus para a criança no caso da mãe contaminada.
 
A vacina também está disponível em todos os postos de vacinação para pessoas com até 29 anos de idade. Grupos vulneráveis também devem ser vacinados: grávidas, trabalhadores da saúde, forças de segurança pública, manicures, população indígena, doadores de sangue, população LGBT, profissionais do sexo, usuários de drogas e portadores de DSTs. Mas a vacina não é a única forma de se prevenir. A prática de sexo com preservativo é imprescindível para evitar a transmissão sexual. Quanto à forma de transmissão sanguínea, é importante observar cuidados de esterilização ou usar material descartável para fazer tatuagens e colocar piercing e usar material individual em manicures e pedicures, além de, no caso de usuários de drogas, não compartilhar seringas, agulhas, cachimbos e canudos.
 
Ver todas as notícias
Voltar para o topo
Atendimento On-line Segunda a sexta: 8h às 17h