Capa da notícia
Tabu

Senac Saber: saúde mental não é “coisa para gente doida”

Na última matéria sobre Janeiro Branco, psicólogo explica tabus que ainda estigmatizam os cuidados com a mente

Durante todo este mês de janeiro você tem acompanhado aqui no Senac Saber conteúdos sobre cuidados com a saúde mental. O mês é todo dedicado à campanha Janeiro Branco, que tem por objetivo promover a conscientização sobre a importância da prevenção ao adoecimento emocional. A campanha também pretende acabar com um tabu que ainda existe sobre esse assunto. 

De acordo com o psicólogo Ely Carvalho, muitas pessoas ainda têm dificuldade em procurar ajuda, pois consideram o atendimento psicológico “coisa para gente doida” ou para quem “tem problemas psicológicos”.

“Procurar ajuda para a saúde mental não é para quem tem problemas, é para quem quer resolver alguns e lidar com outros para ter uma vida melhor, com mais qualidade, para que a pessoa consiga viver de uma forma mais harmônica”, explica o profissional. 

Para que o indivíduo passe a ter essa clareza, ela precisa, antes de tudo, fazer uma autoanálise. “Como você está em relação aos seus pensamentos, às suas emoções? Como tem sido o seu comportamento? O que você fala de si e o que os outros falam de você? Como você se sente?”, questiona Ely Carvalho. Ele completa orientando: “A partir disso, você vai identificar questões que queira melhorar ou desenvolver”. 

A procura por um profissional é o próximo passo. Pode ser um psicólogo, psicanalista, terapeuta ou, dependendo da situação, até um psiquiatra que vai prescrever medicação caso necessário. “A vida vale a pena ser vivida e não precisa ser só um dia após o outro. Olhe para si, porque independente de religião, amar o teu próximo como a ti mesmo é uma máxima da vida. É olhando para mim que vou conseguir olhar para o outro: esposa, marido, filho, familiares, colegas. Eu só dou aquilo que eu tenho”, destaca o profissional. 

Ver todas as notícias
Voltar para o topo
Atendimento On-line Segunda a sexta: 8h às 17h